terça-feira, 28 de fevereiro de 2012


Desequilíbrio espiritual

Quando me converti, entreguei a minha vida para Jesus, só tinha um foco, evoluir e acrescentar a minha vida espiritual. O que não está errado, mas há de se ter equilíbrio. Sei perfeitamente o quanto é bom, o quanto é maravilhoso, estar ali, na casa de Deus, servindo-O, fazendo as coisas para Ele, mas como não vivemos em um mundo de utopia, devemos levar em conta que existe sim uma vida lá fora. Vida esta, que também deve glorificar o nome do Senhor Jesus.

No meu início de caminhada na fé, a minha vida tornou-se catastrófica em muitos sentidos. As minhas notas caíram na escola, em casa eu passei a dar um péssimo testemunho, pois....eu só queria ficar na igreja, acreditava ser aquilo o mais importante ! Não dava a mínima para o resto, eu queria estar ali... E quanto as coisa que estavam acontecendo? Bem, eu tinha uma desculpa quase perfeita: Ah! Isso ai é coisa do diabo, ele esta se levantando porque estou me entregando. E nesse rumo, a minha vida só afundou, não desenvolveu em absolutamente nada, inclusive e principalmente, na minha vida espiritual. Eu cai em sí, pela misericórdia de Deus pude despertar do profundo sono que me acometia. Não foi fácil. Doeu. A minha vontade era a de estar ali, só ali...queria ganhar almas, evangelizar! Hahaha. Deus é maravilhoso. Com o meu testemunho na escola, tornando-me excelente aluna, exemplar; e em casa, com o testemunho de boa filha, boa irmã, enfim, de uma mulher de Deus, pude salvar muitos para Jesus. Amadureci na fé, cresci como nunca espiritualmente, e pude então enxergar, o quão importante é, ser uma pessoa equilibrada. Pois ser de Deus na igreja, é a coisa mais fácil do mundo. Caro amigo, venhamos e convenhamos, na igreja, até o diabo vira crente e convertido! Mas a prova de fogo, que é onde devemos mostrar a diferença, é no mundo, lá fora, para os incrédulos. Então se você tem sido desequilibrado, mão a obra! Nesse exato momento, faça uma oração sincera para Deus, e tome uma atitude. Não faça planos para mudar,  vá lá e mude!

Na fé e na guerra, Caroline Benaia


Nenhum comentário: