sábado, 30 de junho de 2012

Eu me sinto...

Sim. Somente que não conhece a Deus age de maneira humilhante. Oh Caroline, comooo assim? Vamos falar um pouco sobre o coração.  Quem não conhece a Deus faz da pessoa amada seu tesouro, seu tudo, e por isso, costuma tomar atitudes que acabam levando ao sofrimento. Isso é fato. Mas algo tem me preocupado sobremaneira nos últimos tempos. Pessoas que supostamente conhecem a Deus, tem agido de forma ridícula. Sinceramente meus caros, a pessoa certa, que Deus preparou para ti, que te completará, não te fará passar por papéis ridículos, te tratará mal, e muito menos te fará sofrer ou chorar. Ela te completará e ponto final. O fulaninho ou a fulaninha que te faz derramar lágrimas, que faz sentir-se mal, que te faz correr atrás, ora, ora, só cego que não vê que NÃO é a pessoa certa; NÃO é o melhor para você, tudo o que te faz mal, não vem de DEUS.  Somente uma princesa encontrará um príncipe. A espera da mulher virtuosa, esta um grande homem de Deus, um príncipe, que não necessariamente é perfeito, mas é aquele que a fará feliz. E a espera do homem de Deus também esta uma princesa, preparada com todo o carinho pelas mãos do criador. Como costuma dizer o meu pastor: a mulher virtuosa encontra o homem virtuoso kkkk. Pois é. Se Deus tem o melhor para nós, porque estragar nossas vidas com ansiedade, indo a caça do primeiro sapo, ou  a primeira piriguetona que você vê pela frente? Sai fora, que case mal o capeta. Eu prefiro esperar em Deus o tempo que for necessário, mas achar a pessoa certa. Como costuma dizer o bispo Macedo, melhor chorar somente aos sábados do que chorar segunda, terça, quarta, quinta... Enfim.  Me perdoe pela expressão, mas deixe de fogo e aprenda a confiar em Deus. Quando a felicidade te encontrar ha-rá-rá-rá,vai ser violentamente violento rsrrssr 
Fiquem na fé, príncipes e princesas do Senhor, e aprendam a confiar.
A seguir, definições da Bíblia sagrada para o amor:

"O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; 

Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido."
(1 Coríntios 13:8-13)


 Na fé e na guerra, Caroline Benaia

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Zoando o barraco...

OK, OK. Eu sei que você deve ter se assustando com o título do post, como assim? =O? É uma expressão até meio forte né? Concordo plenamente, mas voltemos ao que importa.   O que eu tenho a relatar é uma experiência um tanto quanto engraçada, mas creio que se Deus colocou em nosso coração é porque vai ajudar a muitos...  Cheguei na igreja menininha (pelo menos pra mim 12 anos ainda o é) e criança é criança. Criança não tem maldade, malícia, vaidade (pelo menos as crianças normais).  E eu tinha muitos amigos p.a.s ( os adolescentes naquele período na IURD eram chamados assim), e todos eram muito de fé...
Quando chegávamos da escola, almoçávamos, colocávamos a primeira roupa que víamos pela frente e então com o nosso caderninho de baixo do braço íamos evangelizar. Eram tardes maravilhosas de baixo de sol escaldante, ou de frio severo. Não ligávamos, era sempre assim. Depois íamos direto pra IURD, nem passávamos em casa para nada. Hahá. É isso mesmo... Ha-rá-rá-rá. não importava se era quarta-feira, sexta ou um dia qualquer de reunião, lá estávamos nós, a galerinha da fé. Mas ai é que esta, nós íamos evangelizar de camiseta, um jeans qualquer e um tênis. Soávamos a camisa, afinal, andar horas de baixo do sol... Daí você deve imaginar né? Os aromas maravilhosos que nós exalávamos kkkkk. Mas nós nem nos tocávamos, que todos a nosso redor estavam arrumadinhos, limpinhos (cheirosos) principalmente em dias de quarta-feira, dia de buscar o Espírito Santo. Eram cerca de 20, ou 25 adolescentes malucos, e pirados, só um ou dois que tinha bom senso e tomava pelo menos um banho antes de voltar para a IURD. Era cruel. Mas eramos como disse crianças. Ninguém dizia nada pra gente. Até que um dia, essas crianças cresceram (só um pouco), e se tornaram mocinhas e mocinhos de seus 14, 15 anos. Muitos foram levantados a obreiros, outros tantos estavam sempre na fé e na guerra. Sabe aquelas camisas de evento? Aquelas que se usa na fogueira santa? De campanha sabeeee? Como por exemplo a do templo de Salomão? Ha-rá-rá-rá. Era nosso uniforme de guerra, uma camisetona bem grande, GG mesmo, o cabelo preso ou em coque, as unhas todas ruídas (só o Pai das luzes), uma calça jeans qualquer, um tênis no caso dos rapazes, ou até a boa e velha rasteirinha no caso das meninas. Era assim uê, íamos evangelizar, vender para gerar nossos sacrifícios, lavar a igreja...  E essas atividades requerem roupas confortáveis, então, uníamos o útil ao agradável. Até que um dia, o pastor chama todos na salinha, as moças, os rapazes e começa a descer o fogo: " Pô pessoal, vocês estão de brincadeira né?" Um olhava pra cara do outro, com uma cara de paisagem, sem nada entender... " Se analisem pessoal, olha a roupa que vocês estão usando? Hein obreira, que camisa é essa? Cabem dois de mim ai dentro.. E esse cabelo? Ou melhor, arapuca? E você negão! Pô negão, o tênis todo sujo malandro! Ai não pessoal, ai vocês zoam o barraco... 
Olha, aquele dia foi terrível. ( Eu era bagunçada mas limpinha tá? kkkk) Só que alguns amigos ainda não conheciam o desodorante por exemplo, era triste. Mas quanto a nossas vestes, era normal, sempre foi assim, desde que eramos pototótinhos, e ninguém nunca nos disse nada. Começamos então a reparar nos membros, no pastor, na esposa... Ficamos envergonhados... O pastor também nos ensinou, que quando íamos buscar a presença de Deus, devíamos nos arrumar como se fosse pra encontrar nosso noivo(a), era o nosso melhor em tudo, tinha de ser a melhor roupa, o melhor sapato, o melhor perfume, afinal, nosso Senhor  Jesus merece toda consideração...  Desde esse dia, passamos a considerar mais e mais o Espírito santo, pois isso também é uma oferta. Somos o templo do Espírito Santo, e esse templo, deve mostrar fora, a beleza que também existe dentro..  



Na fé e na guerra, Caroline Benaia

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Um dia especial...

Meu irmão de fé me chamou no portão, me lembro como se fosse hoje, era um dia frio, nublado, e garoava. Peguei cerca de 30 pães de mel, coloquei em uma bolsa térmica e lá fui eu com o meu parceiro. Eramos duas crianças apenas, uma com 12 e a outra com 13 anos de idade, mas o nosso sofrimento já não era de uma criança, e muito menos a nossa atitude. Era uma campanha de Israel na fé de Abraão e nosso objetivo era o extremo...    Aquele dia, marcou para sempre nossas vidas, que a esta altura, já era um sacrifício vivo, afinal, tínhamos aberto mão de nossa própria vida, do conforto de nosso lar, de aproveitar nossas férias escolares, de estar junto de nossa família, pra tomar uma atitude que aos olhos humanos era loucura. Não contamos pra ninguém, pois sabíamos que os "adultos" iriam nos proibir, dizer que era perigoso sair para gerar nosso voto, mas sinceramente, não dá pra explicar o que estava dentro de nós, era uma revolta viva e latente, sangue nos olhos mesmo. E partimos para o sacrifício.Tínhamos 30 pães de mel para vender, algo simples aos olhos humanos mas... Andamos horas incontáveis, quilômetros e quilômetros, mas parecia que  estávamos no deserto, foi terrível...
Debaixo de garoa e sob um frio terrível, não tinha quase ninguém na rua, naquela tarde de segunda-feira, e não aparecia nenhum comprador.  Nossos olhinhos se enchiam de lágrimas, pois não aceitávamos tudo aquilo, mais de 4 horas na rua e... nem um doce vendido!  Nossos pés estavam cheios de bolhas, a barriga reclamava de fome, e o corpo, já estava cansando e a ponto de se abater...  
E assim foi, 8 horas na rua e... NADA! Absolutamente NADA, nem R$1,00 vendido...  Passamos por umas três cidades e nada... E o que fizemos? Cabisbaixos, tristonhos, com os pés sangrando, a fome reinando, as lágrimas nos olhos, e todos os nossos pães de mel, intactos, bem como vieram, voltamos para a casa. Sim, estávamos em uma situação difícil, mas... Deus é Deus... E no caminho de volta para a casa, decidimos rumar para a IURD, e lá,bem lá, foi muito forte!  
Só de lembrar hannnn... Entramos na igreja, e a experiência que eu tive com Deus, foi tão extrema quanto o meu sacrifício... O tecladista naquele exato momento começou a cantar uma canção do cantor J.Neto que diz em seu início bem assim: " Como esta seu coração? Como vai a sua fé? Chegou o momento, de conquistar, o que Deus tem pra você..."  as lágrimas não puderam ser contidas, Deus me enxergou! Yeah... Pra ser sincera, eu cheguei na IURD me sentindo uma inútil, na minha cabecinha, pensava que Deus estava desapontado comigo pois em uma missão tão pequena eu havia falhado... E Deus através daquela canção começou a falar forte comigo. Me esqueci do desgaste físico, da fome, enfim... Parecia que todos haviam sumido do salão e só estava eu e meu paizinho ali... Só nós dois. Foi muito forte. 
Talvez você esteja perguntando: Tá Caroline, bacana, bela experiência, mas e ai? O que você quer dizer com isso?
O que quero dizer, é que quando se trata de sacrifício, a vida é o mais importante. Eu estava me preocupando com o financeiro, mas percebi que de nada adiantaria colocar milhões no altar, se a minha própria vida lá já não estivesse. É assim irmãos da fé, o sacrifício financeiro é a perna direita, e o espiritual a esquerda, e sem as duas, o nosso sacrifício é coxo, defeituoso. O nosso Isaque, o nosso extremo, tem de ser perfeito, pois o que esperamos de Deus, também o é...
Estamos vivendo o propósito mais forte que ocorre na Igreja Universal, a Campanha da Fogueira santa de Isarael, que é a oportunidade de mudança e transformação de nossas vidas, não deixe essa oportunidade passar, vá para a fé,  e lembre-se sempre de ser : O sacrifício vivo!
Os resultados desta Fogueira Santa, o meu testemunho, eu conto outro dia, pois esse post esta muito longo guerreiros rsrsr. Falei de mais já.

Ahh, esta ai a canção que o tecladista cantou e que Deus falou fortemente comigo...

Na fé e na guerra, Caroline Benaia

A mocinha de nariz empinado ali...

Nós dizemos que somos de Deus, mas muitas vezes somos provados em nossa convicção...  Como? Sabe aquele menina que passa a seu lado de nariz tão empinado, que nem olha para os lados? Sabe aquele pastor que pisa, humilha, expõe? Sabe aquele obreiro que só sabe dar raladas e patadas? Pois é, dizemos que somos de Deus, porém quando convivemos com pessoas assim, ao invés de orar só sabemos criticar. Deixamos de levar em conta que também temos falhas, e muitas por sinal. Devemos ter em mente que se não temos maturidade pra orar e jejuar pela pessoa, tão pouco devemos criticar. 
Vamos lá, se analise ai... Será que é a moça que é metida, ou você que nunca sentou para conversar com ela e ouviu dizer que ela metida? Será que o pastor que humilha, pisa, ou será que você esta mal com Deus e não consegue ser humilde pra reconhecer? Será que o obreiro é grosso mesmo, ou o seu orgulho não deixa reconhecer seus erros? E mesmo se a moça for metida, e mesmo se o pastor for assim, se o obreiro for assado, quando somos nascidos de Deus temos um coração puro, e vemos sempre à todos com os melhores olhos, os olhos do Senhor Jesus. 
Então vamos lá... Você tem uma tarefa essa semana: Vai chegar até aquela pessoa que você pouco fala, que considera até metida(o)será simpática (o) e tomará a iniciativa para fazer nascer uma amizade... Pedirá também a Deus um coração humilde e sincero, e principalmente bons olhos para saber reconhecer seus erros e falhas...  E sempre, sempre colocar os joelhos e rosto no chão, e pedir que Deus venha abençoar os que te pisam, iluminar os que te perseguem, e abençoar abundantemente os que sentem-se melhores do que os outros...


Na fé e na guerra, Caroline Benaia

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Quem é de Deus quebra regras


Sabe o que mais me incentiva na busca por um sonho? É alguém me dizer que eu não posso!

É a circunstância me mostrar que é impossível! Isso me faz tão forte, que nem dá para explicar! Em todo o meu tempo seguindo e servindo ao meu Deus, eu aprendi algo que nunca vou esquecer. Aprendi que quem é de Deus quebra regras, não importa o que precisa ser feito para eu chegar até lá, se eu quero eu consigo, se a regra me diz não, eu a quebro, e se for preciso ela mudar por minha culpa ela vai mudar, é claro, tudo de acordo e dentro da vontade de Deus!

Talvez é dessa fé, é desse espírito que você precisa para realizar o seu sonho, o sonho de salvar sua família, de conquistar uma vida financeira abençoada, o sonho de ser feliz na vida sentimental, de servir a Deus no altar, mas vai depender de como você vai reagir diante da primeira palavra de derrota que você ouvir, diante da primeira dificuldade que você precisar vencer!

O que você quer, não é nada perto do que Deus pode fazer, mas pra Ele fazer algo, antes você tem que fazer a sua parte, quebre regras, vença as palavras negativas, vença a si mesmo e siga em frente rumo ao seu alvo!

Na Fé e na guerra, Caroline Benaia

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Você não é nada!

Olá, essa mensagem é dirigida a todos que um dia foram humilhados, desprezados, e ouviram que nunca seriam ninguém e não chegariam a lugar nenhum. 
É mesmo assim que acontece quando o diabo sabe que temos futuro. Isso é muito comum de acontecer na obra de Deus, sempre existem aqueles que se sentem no direito de pisar, humilhar de diminuir outros que estão na mesma condição que eles; a condição de S|E|R|V|O|S. Não podemos deixar jamais morrer dentro de nós o espírito de servo. Devemos servir a todos, desde o menor, até o maior.  Não importando se somos nada e ninguém a olhos vistos, a olhos humanos. Deus conhece e sonda nosso coração, nosso interior, e Ele nos dá suas bençãos de acordo com aquilo que realmente somos. A maioria daqueles que te pisam, se formos parar para analisar estão mal com Deus e acabam externando o distanciamento do Pai tratando mal aos outros. Não ligue, não derrame lágrimas, quando te tratarem feito lixo, pode ser o diabo tentando te paralisar na caminhada, mas pode ser uma benção enorme disfarçada de humilhação.

Na fé e na guerra, Caroline Benaia

terça-feira, 12 de junho de 2012

Desenho pra criança :/

Mas dele pode ser extraído um exemplo de fé violento! Assista, pois além de passar a fé, é uma gracinha!
Na fé e na guerra, Caroline Benaia

terça-feira, 5 de junho de 2012

Quem VOCÊ PENSA QUE É para que Deus lhe ouça?


Quem é você no meio de bilhões de seres humanos? Por quê alguém deveria lhe dar atenção ou notá-lo? E por quê Deus lhe notaria? Milhares de orações são feitas a cada minuto. Por quê a sua deveria ser respondida?

Atenção. Conseguir ser notado. Ser atendido.Todos nós queremos isso, mas isso não vem fácil.

A boa notícia é que temos um ótimo exemplo em nosso próprio corpo de como conseguir isso.

O corpo humano é composto de milhares de partes diferentes, grandes e pequenas : olhos, pés, unhas, dentes, pele, cabelo, veias, etc. Com tanta coisa acontecendo em seu corpo ao mesmo tempo, envolvendo todas as suas milhares de partes diferentes, como pode uma delas chamar a sua atenção? Se uma parte do seu corpo necessita da atenção da sua cabeça, o que ela pode fazer para ser notada e atendida?

A maneira mais rápida e mais certa é através da dor.

A dor é o sinal que seu corpo envia à sua cabeça para conseguir sua atenção. Tem alguma coisa acontecendo aqui, é melhor você dar uma olhada.?

Não importa quão pequena e aparentemente insignificante seja a parte do corpo; se ela sente dor, a mensagem é enviada na hora, diretamente para a cabeça.

Quer uma prova? Arranque um fio de cabelo de sua cabeça ou do seu braço. Vai em frente, faça isso agora. Qual é a importância de um único fio de cabelo em seu corpo, comparado às outras milhares de partes? Não muita. Mas mesmo assim, quando o arranca, a fisgada que você sente envia a mensagem para sua cabeça e exige atenção.

Da mesma forma, você pode ser apenas um entre bilhões de seres humanos. Mas quando você age a sua fé em quem Jesus é, você se torna parte do Seu corpo, onde Ele é a cabeça. Isso em si já é grande, mas é apenas o primeiro passo para conseguir atenção. Você ainda é apenas um entre muitos.

Agora que você é uma parte do Corpo pela fé, você tem uma conexão direta com a Cabeça. Se você precisa de ajuda, da atenção imediata da Cabeça, você sabe o que tem que fazer. Você tem que enviar o sinal. Esse sinal é a dor, o que nós chamamos de sacrifício, algo que lhe causa dor, mas que você faz por causa de sua fé em Deus.

Fé sem sacrifício, fé que não lhe incomode, fé que não faz sentir dor, é morta. Se uma parte do seu corpo está morta ou paralisada, não sente dor, ela é inútil. Você pode até machucá-la, mas ela não envia nenhum sinal para o cérebro, pois está morta. Assim é a fé sem sacrifício ? não diz nada, não faz nada, não significa nada, e não consegue nada!

Jejum, oração, dízimos, ofertas, perdão, ajudar o próximo, obediência, negar a si mesmo, domínio próprio, atos inesperados e ousados de generosidade, mais uma série de outros deveres cristãos, nada mais são do que expressões diferentes de sacrifício.

Por mais desagradável que o sacrifício possa ser para o nosso ego e para nossa acomodada vontade humana, se queremos a atenção de Deus, e rápido ? é através dele que enviamos o sinal. Daí, não importante quem somos, a dor do sacrifício ganhará atenção imediata de Deus.

É o que você faz que determina quem você é, e se você merece atenção. 

Obs:A propósito, o mesmo princípio não se aplica apenas em conseguir a atenção de Deus, mas também de qualquer pessoa importante para você. Aí está a dica.

Na fé e na guerra, Caroline Benaia



Na fé e na guerra, Caroline

domingo, 3 de junho de 2012

Uniformizado ou Ungido?

Você sabe qual é a diferença entre um obreiro uniformizado e um obreiro de unção?

A diferença é a seguinte:


O obreiro de uniforme: Aquele que esta sempre na igreja. Aquele que vive na sala de campanha. Aquele que ora pelo povo apenas nas reuniões. Aquele que quando passa pelas pessoas que estão sofrendo vira o rosto. Aquele que seu uniforme sai da mesma forma que entrou, todo engomadinho. Não que não tenha Deus, mas não faz a diferença, não brilha. É mais um, e aceita ser como tal...


O Obreiro de unção: É aquele que brilha. Aquele que faz o diabo tremer de medo. Aquele que ajudas as almas como se fosse ele mesmo. Aquele que chora,ri, luta, se alegra com as vitórias do povo. Aquele que jejua, sacrifica, ora...e não me de esforços para fazer aquilo que agrada a Deus. Aquele que faz de seu uniforme, uma armadura, e que sai toda amarrotada porque estava numa luta pelo povo e contra o diabo. Aquele que ama a Deus e a seu próximo de todo o coração, Aquele que se humilha perante Deus e é humilde. Afinal, ele nada é, pois tudo que faz ou é, não é para a glória dos homens, mas para honra e glória do Senhor Jesus.


Na fé e na guerra, Caroline Benaia

Eu quero um título....

Olá leitores amigos, o tema a ser tratado é de extrema importância e muito interessante também. Certa vez estava conversando com Deus e tentando entender o porquê de tanta gente caindo, e em sua maioria obreiros, obreiras, pastores, esposas....
Sabe o que acontece na maioria das vezes? O que mais acontece é a falta de novo nascimento isso não é novidade pra ninguém, mas teve outra coisa que Deus me mostrou...
Muitas pessoas, sonham em servir a Deus, mas não necessariamente para salvar almas, querem é um título mesmo, querem status, querem estar no topo da hierarquia, acham simplesmente de mais, ser tratado por senhor, senhora, e brilham os olhos só na ideia de poder mandar.
E eu te pergunto: pessoas assim entram na obra? Mas é claro que sim, entram colocadas pelo homem, entram pela janela, mas acabam saindo. 
Acabam saindo porque não resistem ao fogo, acabam "caindo na real" e percebem que estão em um campo de batalha espiritual, e o diabo TCHUM, puxa o tapete e quebra as pernas do indivíduo...sem dó, sem piedade, o diabo acaba com a raça mesmo.
Ser obreiro(a), não é estar de uniforme engomado a passear pelo salão, ser pastor não é somente subir no altar igualmente engomado e fazer a reunião, e ser esposa não é estar divinamente bela montada em um salto alto... A obra de Deus é maravilhosa e absolutamente gratificante, porém e aquém, tem seus dias maus, as suas guerras ( e que guerras). 
Você quer servir a Deus em sua obra? Amém isso é maravilhoso, mas vale a pena pensar os reais motivos que tem te motivado para isto, você quer servir a Deus e as almas mesmo? Ou esta visando um titulo?
Cuidado hein...  

Na fé e na guerra, Caroline Benaia