sexta-feira, 12 de outubro de 2012

A calça jeans justa da obreira

Marília, você viu a calça da obreira Cláudia? Nossa justa justa, se ela der um passo mais longo o botão estoura... Nossa, ela nem vigia né? Fica ai desfilando com essa calça justa, ham... Dando mal testemunho, mulher de Deus não se veste assim, posso falar uma coisa? Mas não me leve a mal, não é maus olhos, mas nem as mulheres que frequentam baile funk usam uma calça dessas! 
Enquanto isso, em casa, a obreira Cláudia...
-Ai meu Deus! Eu não aceito mais essa situação! Poxa vida, andei engordando, e agora que estou desempregada, não tenho dinheiro sequer para comprar uma calça nova! Estou me sentindo tão mal, tão indiscreta, sinto que tenho dado um mau testemunho, oh Deus...

Bem, a história acima é fictícia, mas ela não foge muito de nossa realidade, não mesmo! Quantas não são as vezes que julgamos as pessoas pelo que elas aparentam ser, ou por uma atitude que vimos? Muitas vezes, infelizmente! Olhamos a roupa da fulana,a maquiagem da ciclana, o jeito de andar da beltrana...
Que feio... Mas temos o péssimo hábito de julgar. Estou mentindo? Você sabe que não... Raras são as vezes que nos colocamos no lugar da outra pessoa, ou então oramos por ela. Temos o exemplo da história acima, as obreiras só sabiam criticar, ter maus olhos, mas em momento nenhum pararam para pensar que a obreira poderia estar passando por algum tipo de dificuldade. 
Eu confesso que eu já fui muito de julgar, mas foi preciso passar por uma experiência em que eu fui julgada, para saber que além de ser feio, te afasta de Deus. Talvez você ache que não tem nada de mais, que não faz mal, afinal, é só a roupa ou a maquiagem da beltrana, mas devemos sempre nos recordar: Ai daquele que toca (ou fala) de um ungido de Deus. 
"Não julgueis,para que não sejais julgados." (Mateus 7:1)
Na fé e na guerra, Caroline Benaia

Um comentário:

Douglas disse...

De fato o julgar está dentro de todo ser humano,a diferença é quem tem os que lutam contra isso e os que não lutam.