segunda-feira, 18 de março de 2013

O meu sonho de servir

Me recordo como se fosse hoje, tinha acabado de ser batizada com o Espírito Santo, e dentro de mim, ardia um desejo, uma necessidade de fazer mais, de ser mais para Deus, nascia ali o desejo de servir a Deus como obreira. Os meus olhos brilhavam quando via aquela farda maravilhosa, quando via aqueles obreiros que mais pareciam anjos de Deus.
Se alguém me perguntasse qual era o meu sonho, eu de pronto responderia: Ser obreira.
E Deus te prova no que você diz meus caros. E por um lado, a prova é árdua, dolorida, mas eu fico feliz, em poder ver que, tudo o que eu conquistei na minha vida foi suado, com muita luta, humilhação, perseguição.
Se eu quisesse mesmo, eu ia ter que mostrar para Deus, e ahhh, como foi guerra.
Eu vi tanta gente, que havia chegado depois de mim ser levantado à obreiro antes de mim, e isso me entristecia sobremodo, um dia, eu fiquei tão triste, que ao invés de ficar feliz, pois novos trabalhadores foram levantados para a seara, eu me tranquei no banheiro, e fui chorar e reclamar com Deus, por que não era eu quem estava ali.
Muitos olhavam e me diziam: Você é imatura! É muito nova! Na primeira vez que o mundo brilhar, você saí...
Mal sabiam que apesar dos meus 13 anos, eu já tinha uma vasta experiência com esse mundo podre e nojento, e que infelizmente, já havia conhecido o colorido desse mundo, as pessoas têm o hábito de te julgar, sem ao menos te conhecer, só pelo que você aparenta ser...
E muitos também me disseram: Você só quer um título, isso é fogo de palha, afinal, já conheci tantas como você, mas daqui há dois tempos você sai...
E o diabo usa quem você menos espera, acreditem, ouvi essas palavras de obreiros que eu mais admirava, foi difícil viu!
Depois, passei uma situação terrível, com uma pessoa mal intencionada, que queria se aproveitar da minha inocência, e o pior: Ele aparentava ser um homem de Deus, mas que por muito pouco, desgraçou com a minha vida, a vida de uma criança de 13 anos! Deus é bom, e me livrou disso tudo.
Mais um baque, mas nada escureceu a minha visão, nada me fez deixar de olhar a obra de Deus, com os olhos mais puros, eu sabia que os espinhos existiam, porém,  eu só conseguia enxergar o bom perfume, as pétalas... 
Então tive que me mudar, pois estava estudando em outra cidade, e já não dava mais tempo de ir na minha IURD, era difícil, só conseguia ir durante a semana, na quarta-feira, e depois, aos sábados e domingos, mas ali, eu dava o meu melhor para Deus, dava a vida pelas almas, esquecia da minha vida, mesmo que fosse naquelas horinhas, no domingo então? Eu nem tinha vida, muitas vezes nem comia. E eu fui me esquecendo então, não do meu sonho, mas de um título, eu só queria servir, e isso eu podia fazer muito bem, em qualquer cantinho, era só permitir que Deus viesse me usar, então, novamente se alguém me perguntasse novamente, naquele momento, qual era o meu sonho, eu prontamente responderia:
Eu quero servir.
Hoje eu enxergo a diferença. Não que o meu desejo, quando eu respondia que queria ser obreira, não era sinceros, eram sim, e Deus o sabe, mas não era uma resposta madura.
Hoje eu vejo que a coisa mais valiosa é poder servir a Deus, pois um título, pode ser facilmente perdido, um dia, eu posso passar por uma situação, uma injustiça na obra, e sair de obreira, mas hoje eu sei, que a armadura do guerreiro, pode ser tirada, mas o espírito de guerra, nunca.
Eu sei que, se naquela época, quando eu havia acabado de receber o Espírito Santo eu entrasse na obra, eu não permaneceria, hoje eu entendo que, cada luta, cada perseguição, cada humilhação, forma permissão de Deus para me moldar.
Já ouviu aquela frase: "Deus leva mais tempo te moldando do que usando.." ? Pois é meus amigos, é verdade, mas o tempo de Deus, é maravilhoso, por mais que não entendamos, Ele sabe o que faz.

Na fé e na guerra, Caroline Benaia



Um comentário:

Pamela Araújo disse...

Bacana sua experiência carol, isso é verdade, nada é no nosso tempo, é necessário que Deus nos molde e nos prepare antes de entrar para Obra d'Ele.