quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Uma candidata a obreira #Parte 10 - FINAL

Eu achava que ele ia me dar uma bronca, disser que o foco dele era outra coisa, mas pela sua expressão, não devia esperar coisa boa. Mas foi ai a minha surpresa: - Tá ligado! Vai arrebentar! Sábado vem ai, trabalha forte, que vamos começar o Grupo Jovem.
Iupi, fiquei tão, mas tão, mas tão feliz, que trabalhei a semana toda, incluindo o meu sábado. Então, sábado chegou kkkkkkkkkk, eba. E lá me fui, buscar os convidados da reunião, quando chego na Igreja, e falo pro Pr, ele olha pra mim e me diz: - Olha, eu vou ver a minha noiva. Sábado é a minha folga. Mas.. Têm fé? A partir de hoje, a força jovem está nas suas mãos.
Meninas, eu não era nem obreira, mas.. Trabalhava nas reuniões, servia santa ceia, e agora... Iria tomar conta de um grupo, eu! Uma menininha de 14 anos... Iniciamos um trabalho forte, e eu confesso pra vocês, a reunião do força jovem, nunca aconteceu, mas começou a chover jovens na igreja, todos os dias, jovens novos, que foram se firmando na presença de Deus, graças a esse trabalho,  eu estava tãooo, feliz, realizada, me sentindo útil... A EBI, a evangelização, a Força Jovem, a obra como colaboradora... Eu me via mais madura, mais serva, enfim, diferente, e amando aquela IURD, aquele povo querido. Mas foi aí, que aquele domingo aconteceu...
Eu saia de casa, 05:00 da manhã, para chegar na IURD cedinho, antes das 07:00, só que, vocês se lembrar no início, que eu disse que, desde o primeiro dia que eu fui até a igreja, Deus havia me mostrado que não era sábio estar ali? Que eu estava sendo orgulhosa, imatura, e etc? Pois então... Neste domingo, como em todos os outros, eu pegava um ônibus até o centro da minha cidade, mas depois ia andando até a outra cidade vizinha, que é pertinho, eu levava umas meia hora. Só que, na divisa entre as duas cidades, existe um caminho muito perigoso, e eu passava por ele, enquanto ainda estava bem escuro, e neste domingo, eu sozinha como sempre, quando um carro para, e dois homens saem de lá, e dizem eu som audível: - Vamos te estuprar! 
Eu arregalei os meus olhos, gelada, comecei a correr, e por livramento do próprio Deus, eu corri, e elas não me seguiram, afinal, eu não daria conta de fugir de um carro me perseguindo. Então ali, eu tive consciência, de que eu deveria abrir mão de tudo, e voltar para o meu altar. 
Agora me perguntem se doeu? Nossa, e como! Eu chorava, só de pensar... Foi difícil me despedir, renunciar, mas eu fui na fé. E votei para a minha IURD.
A minha primeira atitude, foi pedir perdão para o Pr auxiliar, e recomeçar. Para a minha surpresa, logo teve troca de Pastores, e o titular foi embora. E veio um, que nossa! Pensem num pastor bravo... kkkkkkkkk Ele era extremamente rígido, acho que o mais rígido que eu já conheci. Nesta época eu estava de candidata a obreira, e ele me pegava para Cristo, era cada ralada, que não tinha um dia que eu não ia para casa chorando, mas eu sabia, que Deus me estava estruturando. Não vou entrar em detalhes, e nem contar as raladas, quem sabe um dia... Mas, a verdade é que, após 3 meses de ter retornando para a minha IURD, eu fui levantada a obreira!
Agora, deixem eu contar, como foi na sede regional kkkkkkk, quando eu digo que nada para mim é fácil, ninguém acredita. Estava eu, e as demais candidatas a obreiras, na sede, esperando o Pastor regional voltar de uma visita. Eu estava sentada bem atrás delas, e o regional chegou. Não sei como, lá das escadas, ele me enxergou, e esbravejou: -Hey, menina, você! Tem quantos anos?
- Quinze Pastor! (Ele era muito sério, e muito rígido também), 
- Aê? Então é o seguinte, lá em cima nós conversamos. (Isso em um tom áspero) 
Rs, eu subi igual vara verde, de cabeça baixa, porém confiante, de que Deus ia a minha frente, e que aquela era a minha vez.
E assim o foi, ele me entrevistou, me deu uns conselhos, como se fosse um Pai, pediu para que eu contasse as minhas experiências com Deus, e falasse em línguas, e assim o foi, no dia 21/11/2010, eu deixei então, de ser a candidata a obreira, que fui por 3 anos, e agora sim, tinha a unção de Deus, e a autoridade, para fazer a diferença, e um estrago no Reino dos Céus. Ha que dia, rs. 

Espero que tenham gostado, semana que vem têm mais, e se iniciará uma nova série, por isso, fiquem atentas, beijinhos meninas <3 p="">



segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Uma candidata a obreira #Parte 9

Cheguei eu naquela IURD, tão pequenina. Era o dia D. Lembram-se meninas? Em Interlagos.... Enfim, era tudo diferente, eu não tinha as minhas amigas, eu não conhecia ninguém ali, então fiquei quietinha no meu canto, esperando para entrar no ônibus. 
Foi beeeeeemm diferente. Mas enfim, IURD é IURD, aonde quer que estejamos, somos uma família. Situações bem engraçadas aconteceram, e inclusive, nem conseguimos entrar no cartódromo = ( Masss...
Então chegou o meu primeiro domingo, pensava eu que seria como na minha IURD, onde o povo me bajulava, inclusive o Pr. Mas para minha surpresa, lá todos foram muito simpáticos, só cumprimentaram, e foram para o seu canto. Buáaaaaaa. E fora a pregação, ia iniciar-se uma fogueira santa de Israel, e o Pr pregou sobre tirar as sandálias do orgulho, e se despojar de tudo... Eu confesso, naquela hora, Deus me mostrou que eu estava sendo rebelde, orgulhosa, de ter saído da minha IURD, que estava do lado de casa, para ir até uma, que era preciso pegar dois ônibus. Eu estava achando que ia solucionar o meu problema, fugindo do pastor auxiliar, mas estava agindo de ma fé, fugindo, e não encarando o problema de frente como deveria. Ali eu entendi o que Deus queria de mim, mas confesso que não fugi de lá... Fiquei naquela IURD por mais 6 meses. Geeeeenntteee kkkkkkkkkk Até então eu não havia saído do mundo P.A (Tf Teen), e de repente, eu me via numa IURD que não tinha nem Força Jovem, então, me vi eu, entrando para o Grupo de evangelização. Foi diferente, massss, eu ameiiii, gente, que benção, eu aprendi a evangelizar, (Eu até evangelizava no P.A, mas era diferente, entendam) , comecei a fazer visitas aos aflitos... Me lembro que aos domingos, saímos por volta das 14 horas, e só regressávamos as 17:30, quando não, quase 18 horas. RS. Ali também, entrei na EBI, que tinha bem pouquinha tia, poxaaaaa, eu me apaixonei por aquele trabalho, e aprendi muito. Eu lembro que minha vida era corrida, mas só tinha os sábados e domingos, para me dedicar. Era especial, ali eu não tinha bajulação, paparicos, eu não era vista como a "menininha", mas sim, como outra serva, que estava ali a disposição de Deus. 
Em um belo dia, estava no carro, com um casal de obreiros, e o Pastor, ele disse então: - Olha, eu não tenho fé não, eu não levanto menor de 18 anos! 
Na hora, eu me entristeci, mas amém né, eu estava ali para servir.
Quando foi na quarta-feira, ele me chama de canto e me diz: - Olha minha filha, tenho uma coisa para você ( ele me deu a camiseta da campanha da fogueira santa, que teve como tema Moisés, VI , OUVI, E DESCI) , e me disse: - Olha, a partir de domingo, pode colocar o uniforme preto e branco tá? A partir de hoje, você é uma colaboradora.
Eitaaa Deus! Eu meu Pai? Mas o Pastor disse que não levantava menores, mas como então, e porque, estou eu de colaboradora? Entendi nada. 
E chegou aquele domingo, lindo, maravilhoso, era santa ceia! É claro que eu não servi, mas sim, as obreias me ajudaram a preparar... Que privilégioooooo huhu. 
Fiquei feliz, tão feliz, mas eu me sentia incomodada, pois ali não tinha FJU. Então fui conversar com o Pr.
- Olha Pastor, preciso falar com o Senhor, a força da igreja, é a força Jovem, e eu sinto muita falta deste trabalho aqui, o que o senhor acha, de começarmos esse trabalho aqui...
Ele mudou de expressão, me olhou sério...

Mal sabia eu, do que viria por aí... Confiram no próximo, e último Post, de um candidata a obreira. 



quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Uma candidata a obreira #Parte 8

Considerações sobre a parte 7:
Meninas, nada deve estar acima da nossa vida espiritual. A candidata a obreira, quebrou a cara, porque foi guiada por sentimentos infundados e pela voz do coração. Aja racionalmente, com os pés no chão. Eu ouvi esses dias uma coisa muito bacana, de uma esposa de Pr, que me orientava...
" Deus trabalha com a certeza. Se houver um pingo de dúvidas, caia fora! E outra coisa.... Quando eu fui apresentada ao meu marido, eu analisei cada detalhe, foram 4 meses analisando detalhe por detalhe. E só após, ter feito a minha razão ter trabalhado bastante, eu falei para o coração: Agora pode gostar!"
Sejam assim. Sábio conselho. Primeiro analisem, ajam racionalmente, vejam se é concreto, ou se não passa de uma utopia. Imaginem só, uma menina de 14 anos que nem obreira era, gostar de um Pr, maduro, e tudo o mais? Enfim, e vamos a parte 8...

E aí começou o meu inferno. Eu estava muito triste, por saber que ele estava orando com uma obreira, e me abati. Mas o pior, nem foi isso, mas sim, a maneira como ele começou a me tratar ... Feito lixo. Ele me pisava, me humilhava, me escorraçava, e aquilo estava me fazendo muito mal. Parecia que ele me perseguia, e sentia-se feliz, em me tratar assim, pois ele fazia coisas horríveis, e sempre com um sorriso no rosto.  Até que eu decidi conversar com o Pr titular, e pedir ajuda, pois devido a isso, eu estava me sentindo distante de Deus. 
O Pr sorriu, olhou para mim, e tudo o que disse foi: - Filinha, fica na fé, fica em paz, tudo isso é porque você vai ser levantada a obreira. Tá bom?
Eu fiquei com a cara no chão, mas amém. Só que nada mudou, nada adiantou. Ele continuou a me tratar feito lixo, e a cada dia me expor a situações mais humilhantes. 

Vamos analisar esta situação.... Agora podemos entender porque a candidata a obreira até então, não foi levantada, vejam como Deus de tudo sabe! Ela não teria estrutura para aguentar certas coisas, afinal, essa "perseguição" do auxiliar, fez com que ela titubeasse na fé, imagine se ela já estivesse de obreira? Deus conhece as nossas estruturas, talvez até hoje, Deus não te deu algo, que você tem muito lutado, porque te falta estrutura. Voltemos a história...

Então, eu tomei uma decisão extrema. Aproveitei que estudava em outra cidade, e me vali dessa desculpa, para mudar de igreja. Eu sinceramente achava que isso iria resolver a minha vida, e os meus problemas, eu queria, recomeçar do zero, e a minha solução encontrada foi fugir.
 Fui para uma igreja beeem pequena, próxima a minha escola, e foi lá, que eu amadureci, 3 anos em 3 meses. Como? Não perca a próxima parte. 


segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Uma candidata a obreira #Parte 7

E então, aquela sexta chegou. Ele chegou junto com a sexta. Quem era ele? Porque esta sexta marcou? Vamos descobrir na parte 7, não percam.


Eu escuto um Pr gritando, rs, minutos antes de começar a reunião: - Você que faz parte da equipe do Jejum dos impossíveis, venha aqui, tenho um recado para você. 
-Uaaaaaiiiiii, cade o auxiliar que estava aqui? Visheee, o vento soprou. Vamos lá né, estou nesta fé, e vai arrebentar.

- Então pessoal, Deus e eu estamos contando com vocês! Cheguei aqui agora, meu muito prazer, eu sou o Pr Lorenzo... (Não, este não é seu nome, mas a história é verídica, então, zelo pela confidencialidade), e agora estou aqui com vocês. Érrr... Por favor, alguém pode pegar uma folha e uma caneta para mim?
Na hora, eu corri disparada para a salinha de campanha, e fui buscar. Quando voltei, ele estava olhando com um sorrisinho de canto para mim. Até ai normal, mas aí ele se vira para mim, e diz: 
 - Hey, a partir de hoje, você quem cuida da minha reunião. Tá ligado? 
Eu, olhei com meu melhor olhar arregalado, e respondo:- Não sr!  
- Oxente, porque? Tá ficando doida é?  
- Não sr. 
 - E porque você me diz não? 
- Porque eu não sou obreira Pastor! Entrei na salinha porque sou colaboradora, só isso.  
Ele, naquele exato momento, fechou a cara, desfez o sorriso, e disse:- Tá ligado. Não é obreira mas vai ser, eu vou te ajudar a chegar lá. Tá ligado, minha filha? - Tá ligado Sim sr Pr.

Meu Deus, mulher é bicho besta não é não? Eu já chequei em casa suspirando, cheia de: Ahhhhhh!  Nossa, eu fiquei balançadinha com aquilo, mas deixei para lá.
Deixei para lá, até o dia seguinte, após o Jejum, pois uma obreira me disse algo, que começou a alimentar alguma coisinha....
- Ei menina! O Pr demonstrou um interesse por você! Hoje ele me chamou, antes do jejum, e me perguntou como você era, se era comprometida, mas por último,me perguntou a sua idade, e quando  falei, ele desanimou rs. 
Euuuu? Euuuu? Mentira. Haaaaaaaaaaaaaa, que babado forte! 
Fiquei feliz, menina bobinha sabe? Pronto, perdi o foco, comecei a fantasiar... Imaginar eu de obreira, ao lado dele, fazendo a obra no altar. Que lindooo.... 
Que lindo nada! Haha. Eu deveria me enxergar, e me colocar no lugar de mulher de Deus. Afinal, eu ainda era uma menininha, que deveria é se preocupar com as coisas de Deus, em servi-lo, e não ocupar a minha cabeça com pensamentos inúteis e fantasiosos. 
Mas enfim... Fui me levando por aquilo. Alimentando, alimentando. Mas o Pr sempre na dele,não demonstrava nada. Só eu que ficava ali, nas ilusões. E o tempo foi passando, passando, até que um dia...
Chega a notícia de que ele estava orando com uma obreira da minha igreja. Nossssaaaa, eu fiquei em choque; pois na minha cabecinha, ele gostava de mim, iria me ajudar, me esperar entrar na obra, e ter 18 anos. Ai namoraríamos kkkkkkkk Ohhh! Nada disso, ele agiu de maneira sensata, e deu continuidade. 
Mas ai, começou um dos meus maiores infernos... 

To Be Continued.....



Uma candidata a obreira, #Parte 6

Percebi então, que era ele, e ali ele ficou, por uns 5 minutos, com a mão sob a minha cabeça. Daqui a pouco, ouço ele pedir para que clamássemos, e nos colocássemos a disposição de Deus, e ele retira o microfone da boca... Então, ele me cutuca, para que eu abra os olhos, e me diz: 

- Oi minha filha, tudo bem? Ao término da vigília quero falar com você! 
E ele após ter dito isso, encerrou aquela oração. Voltei pro meu lugar feliz, kkk O Pr colocou a mão sob a minha cabeça! Ebaaaaaaa! Mas o que será que ele quer comigo? Enfim, seja o que for, esta nas mãos de Deus.
E ai começou a tocar uns forrós, rs, "Passa a espada no diabo, pisa na cabeça dele, pelo sangue de Jesus, satanás tá derrotadoooo (8 " La la la. Pulei um monte, dancei bastante, enfim, que madrugada perfeita. 
Neste momento, umas 4 da manhã, o conselheiro olha pra mim e diz:
- Olha agora vamos embora, tenho que trabalhar amanhã, mas vou chamar a minha esposa, e já vamos.
Ai ai ai, sério? = ( E logo após ele ter dito isso, o Pr regiional diz: - Pessoal, ainda não acabou nãooo, ainda tem muitooo mais! Vamos lá...

Eita, é sério? Sério que eu vou voltar pra casa sem falar com o Pr regional? 
Nem acreditei, mas não podia fazer nada, eu tinha que entender que o obreiro tinha as suas responsabilidades, e ele já fez muito, me levando... Então, amém. 
Aquilo ficou na minha cabeça, e confesso que até hoje não sei o que o Pr queria comigo. 
Mas agora, devemos adiantar a história por 1 ano e  bolinha, Bora?
As coisas mudaram, agora eu já tinha 14 anos rsrsrs. Estava como colaboradora.... 
Meninas, deixem eu contar kkkkkkkkk
Meu uniforme de colaboradora era uma saia enormeeee de grande preta, que arrumei por aí, uma blusa branca, e um escarpim verniz que eu havia emprestado de uma obreira.
Que zoeira. kkkk Eu não sabia usar salto, e então, arrumo aquele escarpim logo para trabalhar nas reuniões.
Ainda me lembro do meu primeiro dia: Uma sexta-feira! kkkkkkkkkkkk Eu não sabia se orava pelas pessoas, e queimava o capeta, ou se...tentava me equilibrar no salto. RS eu suava frio, andava feito pato, mas foi  ainda sim, uma benção.

E então, aquela sexta chegou. Ele chegou junto com a sexta. Quem era ele? Porque esta sexta marcou? Vamos descobrir na parte 7, não percam. 


Uma candidata a obreira, #Parte 5

Até que o Conselheiro do P.A, (eu prefiro chamar de tio kkkkkkkk), me chamou de canto, ele estava sério, com a cara de mal que já era habitual dele, porém, ele estava diferente. Me chamou de canto, e me disse...

- Olha, eu sei que não pode, mas decidi abrir uma exceção. Eu vou levar você pra vigília, mas por favorrrr, não fale pra nenhum outro adolescente, tudo bem? 
Awwwwwwwwwwwwwnnnn, my God! Eu vou para uma vigília de verdade hihi ( a que eu fui batizada, foi minívigília, somente até 23horas, masss foi A minivigília haha) Mas a grande questão, é que eu ia numa vigília. Que coisa não? Rs, nessa época, adolescente não podia ir, só se o pai levasse, caso contrário NÃO. 
Eu nem acreditei, queria que a quinta passasse logo, rápido, depressa... Fui então arrumar a minha roupa... Ainda lembro peça por peça que separei... rs, All Star Branco, calça jeans com a lavagem cinza, blusa básica branca, e uma jaqueta de frio verde, rs. Estava muitooo feliz. 
Chegou sexta, EBA! Hehehe, Cheguei cedinho na igreja, até antes da hora marcada, para encontrar com os conselheiros do P.A. 
Chegou a hora, VIGÍLIA! E lá fui-me. Na época, nós estávamos em salão, pois a sede foi alagada em uma forte chuva, e perdeu-se tudo, então, a IURD estava no ginásio municipal. Ual! Me sentia tão pequena... Obreiros, jovens, evangelistas, e eu! De intrusa. Rs mas que noite especial! Foi uma linda noite, que jamais esquecerei. 
Em um dado momento da vigília, foi passado esse vídeo aqui:

Me marcou! Muito forte. Em um dado momento da vigília, o regional chama a frente do palco, que tinha o desejo de servir a Deus... Quem era obreiro (a), e desejava servir no altar, e quem era Jovem, ou evangelista, e queria ser obreiro. Beeeeemmm... Na verdade na verdade, eu não era nada, kkk era uma P.A intrusa, mas eu fui lá na frente. E tratei de ficar bem colada no palco, para que ninguém me enxergasse, rs, afinal, não sou muito alta (para não dizer que sou baixinha hehe). E ele começou a buscar conosco, e do nada, eu sinto uma mão, sob a minha cabeça... Gelei! E com essa mão, a voz do Pr, que estava bem audível... Percebi então, que era ele, e ali ele ficou, por uns 5 minutos, com a mão sob a minha cabeça. Daqui a pouco, ouço ele pedir para que clamássemos, e nos colocássemos a disposição de Deus, e ele retira o microfone da boca... Então, ele me cutuca, para que eu abra os olhos, e me diz: 


To Be continued hahaha


quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Uma candidata a obreira, #Parte 4

Até que aquela sexta - feira chegou .... Eu não queria ir, mas elas insistiram muito , então eu fui....  mas não quis ir só. Por isso chamei as minhas amigas do P. A. E então lá me fui..... 
Elas insistiram tanto, mas eu me sentia mal, muito mal mesmo, não estava habituada, sexta-feira era dia de queimar o capeta, na minha IURD, Monte Carlo. Mas a minha vizinha,insistiu tanto para que eu e minha mãe fôssemos juntos com ela, a uma mini vigília, que teria na IURD no centro da minha cidade, rs. Não estava pecando, não era errado, mas alguma coisa queria me impedir. Chamei então duas amigas minhas do P.A (Atual Tf Teen), e lá fomos nós. 
Chegamos, e para nossa surpresa, o Pr estava passando um filme, da volta de Jesus, e do mundo pôs-Volta de Jesus, sinceramente não vi o título do filme, mas as imagens lá vistas, nunca mais esquecerei!
Aquilo criou um temor, e ao mesmo tempo uma gratidão, porque Deus tinha me dado o privilégio, de tê-lo conhecido, de estar ali em sua casa, e o privilégio, se caso eu fosse sincera, humilde, e buscasse, a presença de Deus! Nasceu ali uma revolta, quanto tempo eu perdi, de blá blá blá, priorizando as coisas erradas,mas hoje aquele era o meu dia!
Quando o pastor chamou diante do altar, quem desejava ardentemente a presença de Deus, eu fui, corri, me joguei na frente daquele altar, e busquei com todas as forças, lembro que era uma sede, um desejo, eu falava, "Meu Deus, olha pra esse verme, tem misericórdia Pai, se for pra eu sair daqui sem o Teu Espírito, e do mesmo jeito, me mate!". Eu lembro de tudo, de tudo, cada detalhe, a música, enfim. Foi perfeito, foi inesquecível, foi o meu Haaaa, que dia! Aquele dia foi diferente, sem emoção, eu e Deus, no momento mais especial da minha vida.
Sai de lá, boba, rindo à toa, queria que todos soubessem, o tamanho daquele amor, e aquela alegria, que eu sentia, aquela sensação de que pisava em nuvens, que Jesus iria voltar, e me buscar também, enfim salva!
E sabem do que mais? Saiu aquele desejo, aquela ansiedade em ser obreira, nascia ali o desejo mais sincero de servir a Deus e ganhar almas. Marcou! 
E na quarta-feira, o Pr anuncia:
 "Pessoal, sexta  têm vigília na sede heim, ninguém pode faltar! Obreiros, jovens, e evangelistas!"
- Bufffff, como sempre, obreiros, jovens, e evangelistas, e os P.A's? #Xatiada! = ( Mas amém, Deus sabia o quanto eu desejava ir aquela vigília, mas infelizmente, não podia ir, deveria obedecer.
Até que o Conselheiro do P.A, (eu prefiro chamar de tio kkkkkkkk), me chamou de canto, ele estava sério, com a cara de mal que já era habitual dele, porém, ele estava diferente. Me chamou de canto, e me disse...

Uma candidata a obreira #Parte 3

Começava ali então a minha pior batalha até os dias de hoje: a luta interior. Poxa foi difícil parar para reconhecer que eu estava "enganada" sobre o meu batismo com o Espírito Santo, mas a verdade é que bem lá no fundo eu sabia que algo andava errado comigo, sendo assim Deus trabalha com a certeza e se há 1% de dúvida então é porque não é coisa de Deus rs. Na busca eu chorava copiosamente, achava que deveria sentir... E sim! Eu sentia! Chorava, era aquela sensação boa, aquela coisa gostosa, mas era a dita emoção. Eu chorava porque lembrava dos meus problemas. Porque me fazia de coitadinha e pensava que ia comover a Deus, se eu jogasse na cara dele, todas as injustiças e humilhações pelas quais eu passava.  Então eu caia no choro, e logo em seguida vinha aquela sensação de bem estar. Até que um dia, depois da mesma ceninha de sempre, eu em lágrimas, comecei a "adorar", e ali comecei a falar em línguas... Ali veio então a "certeza", pois para mim ter o Espírito Santo era falar em línguas e isso eu já havia conseguido. Fora que no fundo eu queria o Espírito Santo para ser obreira. Em nenhum momento pensava no destino da minha alma. Agia como menina mimada, que só queria que seus anelos fossem atendidos. Caramba! Mas não pensem vocês que eu vivia no pecado. NEGATIVO. Eu era toda certinha, dizimista, ia a igreja todos os dias, lia a bíblia, jejuava, orava, ou seja era religiosa. Mas no fundo, eu andava certinha porque queria o Espírito Santo para ser obreira. E tinha ouvido falar que o diabo conhecia quem estava mal com Deus, e eu não queria ficar em dívida com ele. Vai que um dia ele manifesta e me aponta... Temor a Deus e amor pelo que ele fez por mim? NADA! Mas o importante é que Deus usou o servo dele para falar comigo. Decidi então ser sincera com Deus e pedir ajuda. Eu comecei então a me entregar de corpo, alma e espírito. Me destitui de interesses e só queria a presença de Deus e a minha salvação. Nessa entrega Deus começou a me mudar, a tira ronque não agradava a ele, a me ensinar a ser mulher de Deus. Até que aquela sexta - feira chegou .... Eu não queria ir, mas elas insistiram muito , então eu fui....  mas não quis ir só. Por isso chamei as minhas amigas do P. A. E então lá me fui.....

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Uma candidata a obreira #Parte 2

Foi quando ele passou por mim, estava sério, continuou com os passos duros, mas do nada, deu meia volta, e veio na minha direção... Ele estava com cara de realmente bravo, parou na minha frente, olhou nos meus olhos,bem no fundo deles, parecia que ele sondava a minha alma, e ficou ali cerca de dez segundo me encarando olho no olho...
Eu não sabia porque ele estava fazendo aquilo, eu não sabia, eu juro! Ele era sério e tudo o mais, só que ele nunca tinha agido assim. Então eu pra quebrar o "gelo", disse: - Sim Sr Pr! Ele continuou lá, me encarando, isso deve ter durado uns 30 segundos, mas confesso que pareceu uma eternidade rs.
Então o semblante dele mudou, ele estava com o rosto franzido, agora a expressão dele era de calmaria, como se ele tivesse encontrado o que procurava, a reposta da sondagem dele... Então ele me diz, e isso com um sorriso no rosto: - Minha filha, você não tem o Espírito Santo! E saiu, apressado, retomou o seu caminho.
Co-co-como assim, eu não tenho o Espírito Santo? Impossível! Eu falo em línguas, eu...eu... Eu cai no choro. Aquilo foi um soco na boca do estômago. Fiquei realmente muito mal, me sentia sem chão...
Fui correndo pra casa. Chorando. Foram os dez minutos mais longos da minha vida, o caminho até em casa. Eu só conseguia pensar: " quem ele pensa que é!"  "Ele não é Jesus." " Eu vou provar pra ele."
Passei o dia com a cabeça cheia. E as horas se passaram, e de noite lá estava eu na igreja. Não conseguia nem olhar na cara do auxiliar, a revolta me consumia, as palavras ditas mais cedo martelavam na minha cabeça....
Então, me tranquei na salinha do ler e escrever na época... Liguei meu celular na rede aleluia, e comecei a ouvir, estava passando momento do presidiário. A verdade é que... Quando Deus quer falar, ele não escolhe programação, afinal, se ele usou até uma jumenta! 
E Deus começou a falar comigo, ali sentada naquela carteira, com a cabeça baixa, os olhos inchados de tanto chorar, soluçando, eu reconheci: "Não tinha mesmo o Espírito Santo, tinha dúvidas, da minha salvação, agia muitas vezes na ira, não tinha domínio próprio, não era humilde... Que Espírito Santo era esse? " Aiiiiiiiiiiiiiiiiii como doeu. E agora? E agora? E o meu sonho de ser obreira... (Agora pensar na salvação que é bom nada né? ) haha. Mas foi ali que Deus falou comigo: Minha filha, eu tenho um plano muito maior pra você esse ano ainda! O presente que eu te darei caso você busque, não se compara a um título! É algo maior, o bem mais precioso, glorioso! A salvação da sua alma, e a minha presença. Haaa, chorei! (era muito emotiva, chorona, bebêzão = kkk). Hehe, ai começou a tocar uma das músicas mais fortes que ejeta ânimo quando estamos no deserto: Deus sabe de você, do cantor Jota Neto. 
Levantei dali, vermelha de chorar, triste por ter priorizado o que não importava, mas decidida, a mudar, AGORA É A MINHA VEZ. Sai dali decidida, passei pelo Pr, e abri um largo sorriso, e soltei um audível: Muito obrigada! Agora eu começaria a minha jornada, rumo ao batismo com o Espírito Santo...


PS: Amanhã virei aqui, relatar, quais foram os sinais evidentes de que era o espírito enganador quem atuava na minha vida, e quais são os frutos do verdadeiro batizado com o Espírito Santo. E claro, vou continuar a história, ela só termina dois anos depois desse episódio, quando eu entro na obra kkkkk Por isso não percam! 



terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Uma candidata a obreira #Parte 1

Olá meninas hoje começamos a nossa nova série:
Uma candidata a obreira....  Vai ser muitttoooooo boa eu garanto que Deus vai falar com vocês a cada nova postagem. Você tem desejo de servir a Deus como obreira, então acompanhe, tenho certeza que essas experiências vão te ajudar. Vamos lá ao primeiro capítulo?

Como eu posso esquecer daquela quarta-feira? Estava eu ali.... No fundo do salão, a igreja estava lotada, e o Pr anuncia então os novos obreiros. Chamou cerca de doze pessoas, e pediu para que dobrassem os joelhos no altar, pois receberiam a unção, a consagração de obreiros, e a partir dali, eram os novos soldados alistados para a guerra, a seara.
Eu deveria ter ficado feliz, afinal, novos trabalhadores foram levantados... Mas eu fiquei arrasada.Me sentia invisível, pequena, transparente. Afinal, não fazia uma semana o Pr disse que queria me entrevistar, que se eu estivesse "certinha" seria levantada a obreira, na próxima "remessa".  Na busca eu nem conseguia ficar em Espírito, a minha voz estava embargada, em meio a tantas lágrimas, e aquele sentimento de "injustiça", eu só sabia questionar a Deus porque não EU? 
Quando a reunião acabou, todos foram felicitar os novos obreiros. E eu? Eu corri pro banheiro pra chorar. Que injustiça heim! Eu ali, firme e forte, e Deus não olhou pra mim, há um ano na fé, na guerra, ganhando almas, servindo, e Deus passa os olhos pela terra e não me vê... Um ano que eu estava ali, e não estava naquele altar! Vi pessoas que chegaram depois de mim, mas já estavam lá no altar recebendo a consagração, e eu deixada de lado.... O que me faltava? Que tristeza heim.... Nem pra servir eu servia. Mas afinal, quem iria enxergar uma menina de 13 anos... Estabanada, que não fazia nada direito, mas pelo menos era sincera...
Amém né, decidi ficar no meu cantinho. No colo de Deus. 
No caminho para casa eu fiquei pensando, o que me faltava, o que meu Deus? Então tá né.... Mas aquele sentimento, aquela coisa, mais parecia inveja do que qualquer outra coisa.... Dentro de mim eu pensava," É.... Mas aquela lá, nem vem na igreja direito, não vi trazer uma alma até hoje...." " Vishe, aquele lá então... " Era como se eu me sentisse melhor que todos os outros servos, mais digna, e  injustiçada....
Quinta lá estava eu, ainda chorosa, emburrada. Limpando os banheiros e indignada: " Meu Deus, cadê os novos obreiros? Tá vendo só, eu tô aqui, e cadê eles? Devem estar em casa dormindo, haha. Obrigada por ter se esquecido de mim..." Na sexta eu ali, com a cara de tacho e o sorriso amarelo, nem conseguia estender as mãos direito, pra queimar o capeta, eu via eles, os novos obreiros lá, e eu ali, sentada no banco, e eu batendo um papinho com Deus: " Meu pai, é o seguinte, não tô afim de estender as mãos e mandar fogo, e sabe porque? Porque eu queria estar ali, rolando no chão, exercendo a minha autoridade, mas o Senhor se esqueceu de mim.... Que graça têm estender as mãos? Do que adianta? Estou fora! "
Sábado participei do jejum dos impossíveis, e novamente eu estava irada, no clamor esbraveja com Deus, ecoava gritos de revolta e injustiça.... A reunião então acabou, desci pro estacionamento, vaguei, vaguei, estava realmente arrasada, e me sentei na escada do batistério. Foi quando ele passou por mim, estava sério, continuou com os passos duros, mas do nada, deu meia volta, e veio na minha direção... Ele estava com cara de realmente bravo, parou na minha frente, olhou nos meus olhos,bem no fundo deles, parecia que ele sondava a minha alma, e ficou ali cerca de dez segundo me encarando olho no olho...

To Be Continued...   

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Recomeços

Recomeçar é tão difícil. Imagine só, perder tudo o que até ali, você havia conquistado, estava tão perto, mas por um vacilo, um errinho, tudo se perdeu....  E falta forças, coragem, para recomeçar.
E a vergonha? E as acusações do diabo, que vem com toda a força com todo o tipo de pensamento, para fazer com que você acredite que não vai conseguir!
É difícil, eu também tive que recomeçar toda a minha vida, vi ruir todos os planos que eu havia construído. Mas apesar do lado ruim, de recomeçar , é bom saber que podemos recomeçar do zero, não cometer mais os mesmos erros do passado, e saber que Deus tem cuidado de tudo. Ele têm cuidado de nós, em cada detalhe. Talvez para nós, seja o recomeço, mas para Deus, é a continuação da sua obra, perfeita e santa.
Deus não falha, não erra, nós é que somos cabeçudas demais da conta, mas enfim né. RS, vamos falar um pouco agora de Davi...
Que lindo, um menino que ninguém dava nada, mas que fez a diferença, e Deus o enxergou quando ninguém mais o via, ninguém dava nada, mas Deus acreditou. Então Davi mesmo com lutas e guerras, fica firme e forte, e chega a ser um grande Rei... Ele tinha agora, a presença de Deus, um reinado abençoado, status, enfim... Ele tinha tudo, mas pôs tudo a perder por ter deixado de ir para a guerra. Destruiu então com boa parte de sua vida...  
Imagine só a vergonha, a humilhação, além de cair com a mulher, ainda manda matar o marido dela. Vishe!
Mas ele recomeçou, imagine só o quanto foi difícil, dolorido, em Salmos podemos ver a agonia, a dor, o sofrimento de Davi.
Mas ele recomeçou. Tirou força da fraqueza, e seguiu em frente, se humilhando, para permanecer aos pés de Deus.
Talvez você esteja assim, sem forças para recomeçar. Sentindo-se fraca, humilhada, e incapaz, achando até que nunca será como eras...
Heia! Princesa, levante a cabeça se não a coroa cai! Deus têm planos grandiosos para a sua vida, os planos dele: "São bem maiorrrrresss, dos que os olhos possam ver, são bem maiores, do que possamos imaginar (8
Se for preciso tirar a capa do orgulho, e reconhecer que precisamos recomeçar, então vamos lá! Deus resiste aos soberbos e orgulhosos. Mas se você for humilde, e reconhecer que precisa da força de Deus para recomeçar, ele vai te ajudar!
E para aquelas que estão na fé do recomeço, eis ai um versículo que me acompanha:

“A glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz o SENHOR dos Exércitos (...)" (Ageu 2:9)