segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Uma candidata a obreira, #Parte 6

Percebi então, que era ele, e ali ele ficou, por uns 5 minutos, com a mão sob a minha cabeça. Daqui a pouco, ouço ele pedir para que clamássemos, e nos colocássemos a disposição de Deus, e ele retira o microfone da boca... Então, ele me cutuca, para que eu abra os olhos, e me diz: 

- Oi minha filha, tudo bem? Ao término da vigília quero falar com você! 
E ele após ter dito isso, encerrou aquela oração. Voltei pro meu lugar feliz, kkk O Pr colocou a mão sob a minha cabeça! Ebaaaaaaa! Mas o que será que ele quer comigo? Enfim, seja o que for, esta nas mãos de Deus.
E ai começou a tocar uns forrós, rs, "Passa a espada no diabo, pisa na cabeça dele, pelo sangue de Jesus, satanás tá derrotadoooo (8 " La la la. Pulei um monte, dancei bastante, enfim, que madrugada perfeita. 
Neste momento, umas 4 da manhã, o conselheiro olha pra mim e diz:
- Olha agora vamos embora, tenho que trabalhar amanhã, mas vou chamar a minha esposa, e já vamos.
Ai ai ai, sério? = ( E logo após ele ter dito isso, o Pr regiional diz: - Pessoal, ainda não acabou nãooo, ainda tem muitooo mais! Vamos lá...

Eita, é sério? Sério que eu vou voltar pra casa sem falar com o Pr regional? 
Nem acreditei, mas não podia fazer nada, eu tinha que entender que o obreiro tinha as suas responsabilidades, e ele já fez muito, me levando... Então, amém. 
Aquilo ficou na minha cabeça, e confesso que até hoje não sei o que o Pr queria comigo. 
Mas agora, devemos adiantar a história por 1 ano e  bolinha, Bora?
As coisas mudaram, agora eu já tinha 14 anos rsrsrs. Estava como colaboradora.... 
Meninas, deixem eu contar kkkkkkkkk
Meu uniforme de colaboradora era uma saia enormeeee de grande preta, que arrumei por aí, uma blusa branca, e um escarpim verniz que eu havia emprestado de uma obreira.
Que zoeira. kkkk Eu não sabia usar salto, e então, arrumo aquele escarpim logo para trabalhar nas reuniões.
Ainda me lembro do meu primeiro dia: Uma sexta-feira! kkkkkkkkkkkk Eu não sabia se orava pelas pessoas, e queimava o capeta, ou se...tentava me equilibrar no salto. RS eu suava frio, andava feito pato, mas foi  ainda sim, uma benção.

E então, aquela sexta chegou. Ele chegou junto com a sexta. Quem era ele? Porque esta sexta marcou? Vamos descobrir na parte 7, não percam. 


Nenhum comentário: